quinta-feira, 29 de abril de 2010

Existe diferença!?

Já desconfiava que não existia muita diferença entre onde trabalho de onde estudo.

A única diferença, gritante, que encontrei até hoje foi a forma que participo nos dois lugares, enquanto em um sou mero expectador no outra sou apenas mais um dos personagens.

Para não entrar nos pormenores, podemos observar as tradicionais "colas", que de tão mal sucedidas e absurdas acabam muitas vezes, depois do fato, se tornando motivo para piadas.

Pena que as semelhanças não sejam, igual a "cola", motivo só para piadas, afinal elas são muitas para ambientes, que deveriam ser, muito diferentes.

Nessa semana até surpreendido por aluno dando "birra", "mal criado" e "respondão" eu consegui ser. Ah, isso no trabalho é normal, mas nunca pensei que iria vivenciar isso na sala onde eu estudo.

E nem posso culpar a minha idade, querer dizer que estou no lugar e época errada, que já passei por essa fase também ou algo do tipo. Afinal posso ser mais experiente - rabugento - mas as semelhanças também não são entre pessoas com idades próximas.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Pela primeira vez, STJ decide favoravelmente por registro de criança por mulheres gays

Do UOL Notícias

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu nesta terça-feira (27) o direito de um casal homossexual registrar crianças adotadas.

A decisão seguiu a linha de raciocínio da 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), que permitiu que um casal de mulheres seja responsável legalmente por duas crianças adotadas.

Os dois meninos são irmãos biológicos e hoje tem 6 e 7 anos de idade. Eles já são formalmente adotados por uma das companheiras, uma professora universitária, com quem vivem desde o nascimento. O casal decidiu entrar na Justiça para que eles pudessem ser registrados como filhos de ambas.

Elas conseguiram decisões favoráveis na 1ª e na 2ª instâncias, mas o Ministério Público gaúcho recorreu ao STJ contra a decisão por considerar que a lei só permite a adoção para casais heterossexuais.

Segundo o MP, apesar de a união estável entre pessoas do mesmo sexo ser equivalente ao casamento entre homens e mulheres para efeitos civis— como divisão de bens e compartilhamento de plano de saúde—não há previsão legal para a adoção.

“Quer se reconheça à união homoafetiva o caráter de união estável, quer se lhe reconheça a natureza de instituição a ela equivalente, não há como negar o que caracteriza entidade familiar”, afirmou a Promotoria no recurso.

Entretanto, o relator do caso, o ministro Luis Felipe Salomão, entendeu que o artigo 1.622 do Código Civil não impede a adoção por pessoas do mesmo sexo, desde que vivam em união estável. O ministro qualificou o julgamento como "histórico" e disse que a decisão deve servir de parâmetro para os demais tribunais do país.

domingo, 25 de abril de 2010

Quem sofre é a sociedade.


Estou cansado de ouvir que "é culpa da sociedade" a falta de educação, respeito e limites de alguns cidadãos. O problema está nos políticos e na população que não toma providências severas com quem realmente as merece. Chega de encarar problemas reais que precisam de soluções imediatas com os velhos chavões esquerdistas.

O fato da criança não ter uma estrutura familiar adequada em casa, não pode ser motivo para que ela viva as margens de suas responsabilidades e obrigações na vida em sociedade.

É um dever do Estado, e da sociedade, coibir todo e qualquer violência contra as crianças. Mas depois que a violência já aconteceu a obrigação da sociedade e do Estado passa a ser acolher essa criança dentro das normas e regras impostas para uma convivência saudável.

Afinal, pessoas que nunca aprenderam regras e limites em casa, são as que mais necessitam de limites e disciplina fora dela. Se isso não ocorre, nunca aprenderam a diferença entre o certo ou errado.

Acreditar que esses indivíduos necessitam exclusivamente de compreensão,
carinho e afeto é de uma inocência absurda. Pois em famílias estruturadas encontramos em primeiro lugar a educação, o respeito e a disciplina e junto com isso o carinho e afeto.

Ao acolhermos em sociedade oferecendo apenas carinho e afeto, sem em contra partida exigirmos educação, respeito e a disciplina estaremos sendo muito mais negligentes que a própria família já foi.

Benjamin Button


Interessante texto retirado do filme: "
O Curioso Caso de Benjamin Button", outro filme que vale a pena assistir.

"Se quer saber...

Nunca é tarde demais para ser quem você quer ser.

Não há limite de tempo, comece quando você quiser.

Você pode mudar ou ficar onde está.

Não há regras para esse tipo de coisa.

Podemos encarar a vida de forma positiva ou negativa.

Espero que encare de forma positiva.

Espero que veja coisas que surpreendam você.

Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes.

Espero que conheça pessoas com pontos de vista diferentes.

Espero que tenha uma vida da qual você se orgulhe.

E se descobrir que não tem,

Espero que tenha forças para começar novamente."

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Temporada de provas.

E começaram as temidas provas do 1º bimestre, como ainda não conhecemos o estilo das provas e principalmente a forma que os professores avaliam, sempre o primeiro, acredito, é o mais tenso de todos os bimestres, para os alunos em geral.

Mas como nem tudo é preocupação e stress, as provas sempre trazem um excelente pretexto para uma cerveja com os colegas de sala logo pela manhã.

É nessas conversas que descobrimos afinidades ou grandes diferenças entre nós e os demais alunos. Já que no decorrer do curso as conversas são menos informais e mais voltadas para as aulas do dia.

Descobrimos que muitos não compartilham da mesma opinião, seja sobre determinados docentes ou mesmo sobre outros discentes. Notamos que aquele professor que gostamos da aula, da explicação etc, outro discente não concorda e acontece também o inverso, um professor que na sua opinião deixa a desejar é considerado perfeito na opinião de outro aluno.

É também um excelente momento de descobrir as peculiaridades de outros alunos fora do ambiente acadêmico, ou seja, em um habitat natural.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

50 anos de Brasília.

Algumas pessoas sempre comentam que o brasileiro gosta é de "pão e circo", se você também faz parte desse grupo, relaxe, isso já é uma tradição antiga.

Afinal hoje faz 50 anos que Brasília foi inaugurada. Motivo de festa no país, ninguém só nunca explicou as razões para se comemorar.

Como sempre o brasileiro não se preocupa com os métodos e sim com os resultados. Uma capital feita a toque de caixa, só não tínhamos o caixa, que o visionário, como muitos o chamam, não estava preocupado em pagar e sim em construir.

Que projeto magnífico, feito por ninguém menos que Oscar Niemyer, aquele senhor que adora defender o socialismo e criticar o capitalismo, mas inexplicavelmente cobra uma fortuna por seus projetos.

Lembro quando, nas aulas de História, as professores diziam que o Rio de Janeiro sendo cidade costeira deixava o governo do Brasil muito vulnerável em caso de ataques de outros Estados.

Agora entendo e concordo com esses professores, mas não do ataque de outras nações e sim dos eleitores que são diariamente lesados por pessoas que vivem em um "país" a parte. Uma cidade que produz um ônus, desnecessário, para todos os contribuintes do país.

Muito cômodo para os políticos ficarem isolados em uma cidade que vive em constante pujança financeira, essa, graças ao enorme múmero de cargos públicos que formentam todo o capital de Brasília.

Mas vamos esquecer esse assunto, afinal Daniela Mercury acabou de encerrar o show de aniversário tocando a música preferida do grande visionário e faltam pouco menos de dois meses para a Copa, portanto não temos tempo para os políticos.

Apoio importantíssimo.


terça-feira, 20 de abril de 2010

Interpretação da lei.

Já está na hora das pessoas fazerem uma interpretação correta da lei contra o Racismo.

A lei tem a finalidade de coibir um crime específico e intolerável e não situações que deveriam ser analisadas, no máximo, como injúria.

Um motorista que leva uma "fechada" no trânsito, e no calor do momento ofende o causador com a palavra "macaco" não está dizendo nada além de qualquer outra ofensa, infelizmente, comuns em discussões de trânsito.

Situação bem diferente de quem humilha outra pessoa tendo como base a cor de pele, em um momento não tensão e sim de imposição de uma suposta superioridade.

É um absurdo um jogador de futebol querer alegar racismo, por outro, em pleno campo de futebol. Sendo que no decorrer do jogo, palavrões e, até, a violência física acontecem de forma, podemos dizer, corriqueira.

Vamos imaginar a situação hipotética: um juiz de futebol proibindo que a torcida deixe o estádio, até que quem ofendeu a honra de sua mãe fosse indentificado e preso. Isso é absurdo, afinal o juiz é um "Filha da Puta" independente do esporte e da índole de sua mãe, para qualquer torcida supostamente prejudicada.

Ao nos confrontarmos com supostas vítimas de racismo, devemos primeiro analisar a situação que o fato ocorreu, durante o jogo de futebol por exemplo, com o perdão do trocadilho, as ofensas fazem parte do jogo.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Filme...


Postei a seguir um texto que achei muito interessante, é do filme Um Sonho Possível.


"Coragem é algo difícil de imaginar. Você pode ter coragem baseado numa ideia idiota ou um erro, mas você não pode supostamente questionar adultos, ou seu técnico, ou seu professor porque eles fazem as regras.

Talvez eles saibam melhor mas talvez não saibam.

Tudo depende de quem você é, de onde você veio.

...É por isso que coragem é uma coisa complicada. Você sempre vai fazer o que
os outros dizem pra você fazer? Às vezes você pode nem ao menos saber porque está fazendo alguma coisa. Digo, qualquer idiota pode ter coragem.

Mas honra, essa é a verdadeira razão para você fazer ou não alguma coisa. É quem você é ou talvez quem você queira ser. Se você morrer tentando por alguma coisa importante então você terá ambos: coragem e honra. E isso é muito bom.

...você deve esperar pela coragem e praticar a honra. E talvez até mesmo rezar para que as pessoas que te dizem o que fazer, tenham alguma também."

sábado, 17 de abril de 2010

Ótimas aulas.


É interessante avaliar as diferentes situações, lugares e, principalmente, pessoas que nos fazem aprender alguma coisa.

As vezes perdemos nosso tempo em aulas específicas com um professor que não é capaz de nos ensinar nada, o pior que isso acontece do pré-primário ao terceiro grau.

Enquanto que as vezes o que era para ser apenas uma conversa de bar, se torna uma das melhores lições de nossas vidas.

Me lembro dos ensinamentos que aprendi com um senhor chamado Chaffic, aqui mesmo de Franca, ele é, se não estou enganado, artista plástico. Em uma conversa de 1 hora, no máximo, ele me presenteou com uma das melhores aulas de história da minha vida.

Tomando cerveja as 2 horas da manhã com um amigo, também estudante, tive uma excelente aula de Direito Civil a partir do momento que um outro amigo dele resolveu se juntar a nós.

Podemos adquirir ótimos ensinamentos com amigos, namorada, inimigos, vizinhos, garçons, motoristas, garis, motoqueiros, faxineiras, bêbados , enfim, com qualquer pessoa.

O que é imprescindível é saber escutar e filtrar, dentro do imenso universo de bobagens que ouvimos a todo instante, as informações relevantes dessas aulas gratuitas e inesperadas.

Hoje aprendi mais uma lição, muito simples e que será de imensa serventia. Ela foi dada por uma pessoa que não sentia simpatia, em um lugar inusitado e no início da conversa o que eu mais queria era ir embora. Ainda bem que eu soube aproveitar a oportunidade e no final ainda dizer um "Muito obrigado" ao "professor".


A melhor opção é não avaliarmos os professores, e sim, o conteúdo das lições. Afinal podemos estar perdendo nosso tempo com simples "conversas de bar" ao invés de verdadeiras aulas.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Pop ou Preso?


O finado Papa João Paulo II ficou conhecido como "Papa Pop", devido a seu carisma e "rostinho de bom velhinho".

Já seu substituto, além de uma cara de "velho rabugento", tinha a frente a difícil missão de ocupar o lugar de um dos, ou o mais, popular dos papas da história.

Agora o "velhinho rabugento" pode entrar para a história como o "Papa Preso".

Afinal, é isso que pretendem dois pensadores britânicos. Os escritores Richard Dawkins e Christopher Hitchens expressaram sua intenção de processar o papa Bento 16 pelo seu papel nos casos de abusos sexuais envolvendo padres da Igreja Católica em diversas partes do mundo.

A argumentação jurídica seguiria a mesma lógica da ação que culminou com a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet durante sua visita a Londres em 1998.

Como sabemos, o papa não poderia ser detido se fosse a Inglaterra em visita de Estado, porém como ele não é chefe de Estado, a regra não se aplica ao pontífice.

Para quem nunca ouviu falar em Dawkins e Hitchens, e acha que são apenas pessoas em busca de atenção:

Dawkins, biólogo de formação. Seu trabalho mais conhecido, "Deus, uma ilusão" vendeu mais de 1,5 milhão de cópias pelo mundo.

Hitchens é filósofo e cientista político pela Universidade de Oxford, e colunista de diversas publicações, como Vanity Fair, Harper's e Granta.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Shakespeare

Todo mundo, provavelmente, já leu ou ouviu esse texto de Shakespeare.

Mas acredito que é algo que vale a pena ser visto por mais de uma vez.

video

terça-feira, 13 de abril de 2010

Justiça decide: esperma é propriedade da mulher.

Aproveitando os estudos sobre: posse, propriedade e transferência. Um caso "legal e curioso".

“Usar esperma para engravidar sem autorização do homem não caracteriza roubo, porque uma vez ejaculado o esperma se torna propriedade da mulher.”

O entendimento é da Corte de Apelação de Chicago, nos EUA, no processo movido pelo médico Richard Phillips contra sua colega Sharon Irons, a quem acusa de traição calculada, ao final do relacionamento conjugal que mantiveram por seis anos.

Sharon teria armazenado e guardado o sêmen de Richard depois de fazer sexo oral e usado o esperma para engravidar.

Richard Phillips alega que só descobriu a existência de uma criança quando Sharon ingressou com ação exigindo pensão alimentícia.

Testes de DNA foram realizados e confirmaram a paternidade foi quando então, o médico processou Sharon por danos morais, furto e fraude.

Os juízes da Corte de Apelação (2ª Instância) descartaram as pretensões quanto à fraude e furto afirmando que a mulher não furtou o sêmen. O Colegiado levou em consideração o depoimento da médica. Ela afirmou que “quando Richard Phillips ejaculou em sua boca, ele cedeu e entregou de livre e espontânea vontade o seu esperma, e a deu de presente.

"Para o Tribunal, houve uma transferência absoluta e irrevogável de título de propriedade já que não houve acordo para que o esperma fosse devolvido”.


ATENÇÃO:
O blog "Nem Tão Direito Assim..." aconselha:
Para uma melhor higiene bucal, da parceira, tenha sempre
em mãos um bom anti-séptico bucal.

Beijos.

Comemora-se o Dia Internacional do Beijo em 13 de abril.

Um exercício extremamente delicioso de se fazer, afinal, para beijar, o ser humano movimenta 29 músculos (12 dos lábios e 17 da língua) e ainda é liberado serotonina - hormônio que nos deixa no maior alto astral.

Independente se o preferido seja: escondidinho, Musical, Oceânico, aspirador de pó, Roda Gigante, metralhadora, Drácula ou qualquer outro. Beijar é uma das formas mais gostosas de se dar e receber carinho.

Impossível descrever, a delícia que é, o momento que duas bocas que nunca haviam se tocado se percebem tão íntimas. Como se fossem conhecidas e soubessem como se tocar e acariciar a muito tempo.

Jamais saberia explicar como ocorre a transformação de beijinhos que começam de forma carinhosa e inocente em uma avalanche de beijos, deliciosamentes, selvagens e incontroláveis.

Beijo pode ser o toque mais estimulante e marcante entre duas pessoas, uma ótima razão para se dedicar ao máximo a esse ótimo exercício.


segunda-feira, 12 de abril de 2010

Qualquer semelhança....

Se alguém não conhece quem é:

"Professor Marins é doutor (Ph.D.) em Antropologia (Austrália); Pós-Doutorado em Macro-Economia (London School of Economics - Sydney/Londres); Licenciado em História, Bacharel em Direito e Técnico em Contabilidade; Estudou Ciência Política e Relações Internacionais (Universidade de Brasília) e Negociação (New York University); Consultor de várias Empresas Nacionais e Internacionais. É um dos mais renomados palestrantes do Brasil e do exterior nas áreas de Motivação Empresarial e Futuro das Empresas."


domingo, 11 de abril de 2010

Sugestão.


Um evento que não vejo os alunos comentarem, e que vale a pena participar, é a Universidade de Verão.

Nos anos anteriores sempre perdia os prazos das inscrições. Em 2010 além de conseguir me inscrever em dois cursos, descobri que isso não é necessário.

Pois acontece de muita gente se inscrever pela internet ou telefone e no horário do curso nem a metade aparecer, assim as pessoas que comparecem, sem inscrição, acabam sendo a maioria e a fazem na hora.


Cadê a indignação?


Onde estão as pessoas que exigiram justiça no caso Isabella Nardoni, ou será que não estão informadas sobre as notícias no estado do Rio de Janeiro.

A morte de mais de 200 pessoas, assassinadas por políticas públicas que priorizam o descaso e a favelização de uma cidade.

E o principal político tem a cara de pau de lamentar a tragédia e dizer:

- A única coisa que a gente pode fazer, num momento como esse, é pedir a Deus que a chuva pare um pouco, para as coisas melhorarem e voltarem à normalidade.

Não presidente, o que os homens no poder podem, e devem, fazer é deixar de ignorar o problema e encará-lo de frente. Não com políticas assistencialistas, típicas de políticos como você, que asfaltam, instalam água, luz, telefone etc nas comunidades ilegais como se não o fossem.

Más de quê adianta essa indignação? Estou falando da cidade que será sede das Olimpíadas de 2016, no país que será sede da Copa de 2014. Pouco importa se boa parte da população estará morta, seja devido a violência urbana ou de alguma outra omissão do Estado, o que interessa é que daqui uns dias começa a Copa do Mundo na África e ninguém estará preocupado com "favelados cariocas".

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Decisão improvável.

"Atropelado é condenado a indenizar motorista em Porto Alegre

Um pedestre foi condenado a ressarcir o prejuízo do motorista que o atropelou. Depois de ter ido à Justiça para pedir indenização, o atropelado terá de pagar R$ 868,28 para o motorista, isso porque o tribunal concluiu que o acidente foi causado pelo pedestre, que atravessou a rua fora da faixa e quando o sinal estava aberto os para carros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O acidente ocorreu na Avenida Praia de Belas, em Porto Alegre (RS), em julho do ano passado. Para a Justiça, o pedestre e suas testemunhas entraram em contradição na hora de explicar o atropelamento."

Redação Terra

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Do outro lado.

Quantas vezes já fique indignado, por estar em uma repartição pública, ser mal atendido e me deparar com aquele famigerado informativo na parede:



Sempre me pegava pensando: "funcionário público são todos folgados", "ninguém aqui quer trabalhar", "assim fica fácil. Nem posso reclamar" etc.

Que existe funcionários com má vontade é inegável, porém a falta de educação de alguns populares é inacreditável.

Pessoas que se acham no direito de tratar sem o mínimo de respeito e educação alguns trabalhadores. Como se todos os problemas que ele está fossem culpa ou capricho da pessoa que o atende.

Para passar a entender a necessidade desse aviso só estando do outro lado do balcão. Como em muitos outros casos no nosso país é mais um simples problema de educação. Tanto de alguns funcionários que não sabem cumprir corretamente com suas funções, como também de alguns populares que não sabem como exigir seus direitos sem desreipeitar um trabalhador.

E como a educação é um problema crónico no país: bons funcionários continuaram a serem desreipeitados e a maior parte da população continuará convivendo com esse tipo de aviso, que é necessário a uma minoria.

Simples!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Inversão...

Inacreditável as mudanças que nos acostumamos na sociedade.

Hoje as pessoas que recebem os pseudônimos de "carudo", "cara-de-pau", "sem noção" etc, não são aquelas que não honram seus compromissos e sim as que exigem deles os seus direitos.

Aquele amigo que nunca tem a parte dele para pagar, ou sempre pede para você "fazer a dele", quem não colabora com a organização e limpeza de espaços usados em comunidade etc. Com essas pessoas a sociedade habituou-se.

Párias são as pessoas que tentam receber, recuperar o que "emprestaram" ou exigir uma atitude de educação e respeito com o que é de uso coletivo.


Chega a ser desagradável o credor quando exige o pagamento, não o fato de o devedor não realizar a quitação da dívida.

Mal educado, não quem joga um papel no chão, e sim, alguém que exige que ele pegue o papel e jogue no lixo.

Impertinente, não aquele que não faz suas obrigações, mas sim aquele que prejudicado por essa omissão, exige que sejam feitas.

Através dessas poucas "adequações sociais" que convivemos no dia a dia, percebemos o quanto a inversão de valores está arraigado em nossa sociedade.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Custo Brasil.

Em outras ocasiões já havia pensado em escrever sobre a diferença dos preços de automóveis no Brasil e em outros países.

Mas antes de postar os preços - diferenças - que já pesquisei, tenho que postar a nota que saiu na revista Veja de 07/04/2010:


Um carro, dois preços
Se você se encantou com o City, o último modelo que a Honda lançou no Brasil, vai pagar 53 000 reais nas concessionárias para comprá-lo. Beleza. Mas bom mesmo é para os mexicanos: lá, o mesmíssimo carro, fabricado em São Paulo e exportado para o México, é vendido pelo equivalente a 26 000 reais. Essa diferença, resultado de um acordo automotivo entre os dois países que elimina impostos, tem nome e sobrenome: custo Brasil.

Pegando como parâmetro um Gol G4 1.0, 2 portas, ano/modelo 10/10, preço à vista: a partir de R$ 23.490,00. (fonte: site da Volkswagem).

Lembrando, 2010 é ano de eleições, inclusive, para o cargo máximo na administração de nosso país. É a hora de exigirmos, de nossos futuros mandatários, projetos voltados para a diminuição dessa absurda carga tributária.



domingo, 4 de abril de 2010

BBB...

E acabou de forma diferente o BBB de número 10.

Entre todos os gays e simpatizantes do programa, acabou vencendo o concorrente mais improvável.

Afinal estamos vivendo a época do "politicamente correto", onde todos que se colocam na posição de "minorias discriminadas" acabam levando vantagens.

Pois passa a ser visto como preconceituoso, todo e qualquer comentário feito a alguém que se diz parte de um grupo perseguido, mesmo que o comentário nada tenha haver com as características que, supostamente, fazem do grupo uma minoria.

Já é hora das pessoas pararem de proteger e, principalmente, se esconder atrás de falsos preconceitos e perceberem que o problema é no caráter e não em determinadas atitudes.


sexta-feira, 2 de abril de 2010

Sacrifício!?

E está declarado o fim do período de hipocrisia! Calma, a hipocrisia não vai abandonar a nossa sociedade, acreditar nisso é utopia. Porém chegou ao final mais uma temporada onde ela não é velada e sim declarada e aplaudida.

Não existe época mais bonita para ser hipócrita que o período da quaresma. A maior parte da sociedade aceita e ainda elogia sua "força de vontade".


Quaresma, é o período do ano onde as pessoas aproveitam para diminuir os gastos, melhorar à alimentação e, isso tudo, fazendo como se o principal beneficiario disso tudo não fossem os próprios.


Algumas das pérolas proferidas na época são:


"Tem que escolher algo que você realmente gosta" - é claro, como parar com algo que você já não gosta e não parou?

"Eu faço peniténcia, e não bebo cerveja" - o salário e o fígado agradece, ou mais alguém é beneficiado?


"Não bebo refrigerante nesses quarenta dias" - a celulite e a barriga de quem sai perdendo?


Concluimos assim que: a quaresma é época ideal do ano para se parar os gastos com cerveja, manter um regime de no mínimo quarenta dias e ainda economizar uma boa graninha.


Economia que vai ajudar muito, afinal, o sacrifício acaba no sábado de aleluia. Dia que até vegetariano faz churrasco e abstêmio aproveita para ir comprar uma cervejinha.

Piada!?

Quando fiquei sabendo que a propaganda da cerveja Devassa, que tinha como protagonista Paris Hilton, teve a veiculação proibida corri a net para assistir.

Só pode ter acontecido uma jogada de marketing ou foi uma grande piada essa proibição.

Afinal, em um país de Carnaval, BBB, novelas etc. Qual o problema nesse comercial:


video

Políticas

Como sou um crítico feroz do PT e, principalmente, de seu líder supremo.

Nem é por serem piores que os demais e sim por postularem uma santidade inexistente em qualquer lugar, que dirá entre políticos.

Tudo que divulgam como conquistas próprias, não passam na verdade de projetos criados por outros políticos e do qual foram os principais críticos, tanto na criação como implantação dos mesmos. Como fica evidente no vídeo a seguir.

video

Saber aproveitar.

Deveríamos usar a célebre frase dita a Peter Parker por seu avó: "Grandes poderes trazem grandes responsabilidades", para encararmos as mudanças, em relação ao tratamento, dos professores do primeiro e agora do segundo ano.

É visível a mudança, para melhor, da forma como os professores se relacionam com os alunos nesse segundo ano. Mas como foi dito pelo avó de Peter, isso exige também mudanças por parte dos alunos.


Isso já foi demonstrado através de comentários feitos pelos próprios pro
fessores:

"Vou ter que trazer um bafômetro para a sala de aula".

"Preste atenção na explicação que isso é desnecessário".

"Vamos ter que di
minuir o número de perguntas, ou que façam elas de forma mais focada na matéria".

"Quem faz revisão são concessionárias".

Entre outras frases ditas por professores podemos traduzir da seguinte forma:


Pensem para perguntar;


Aproveitem para tirar dúvidas e não para demonstrar seus conhecimentos;

Não façam perguntas idiotas;


É desnessário tentar aparecer;

Podemos resumir também com uma frase bíblica e, automaticamente, um trocadilho inevitável:


"A César o que é de César."