segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Dica de livro.



Com mais de 250 milhões de exemplares vendidos, traduzidos em 29 idiomas, John Grisham volta, em O recurso, ao universo da justiça que o consagrou – o livro, que, a exemplo de outros seus, alcançou o 1º lugar na cobiçada lista do The New York Times, é o seu primeiro thriller jurídico desde O corretor, de 2005. Num tribunal do Mississipi, o júri volta atrás do veredicto contra uma companhia acusada de despejar resíduos tóxicos no reservatório de água de uma cidadezinha, causando o maior boom de câncer da história – a empresa houvera apelado à Suprema Corte, composta por nove juízes. A questão é: quem eram eles? Como votaram? Algum deles poderia ser substituído após a decisão final? A política sempre foi um jogo sujo. Grisham mostra, agora, que a justiça também é.



O desfecho de O recurso é uma surpresa, perfeito para um livro cheio de viradas. E para os fãs de John Grisham é ótimo ver que o escritor continua dominando os tribunais como poucos.

Quem não conhece John Grisham, são livros dele adaptados para o cinema:

O Cliente;
A Firma;
O júri;
Dossiê Pelicano entre outros.

.

Aproveite cada conquista!

Precisamos valorizar todas as conquistas que conseguimos,
por menor que elas possam parecer.

video

.

domingo, 30 de agosto de 2009

O marketing do preconceito!



Um antigo político tinha como frase: "Mulher é um adversário difícil porque bate como homem e apanha como mulher".
Algumas pessoas tem por hábito usar como escudo um preconceito que dizem sofrer, mas que na maioria das vezes é apenas uma forma de inverter valores.
As pessoas antes de se declararem "vítimas de preconceito", seja ele qual for, deveriam avaliar suas atitudes e, principalmente, onde ocorreu o suposto preconceito.
Pois em um país onde:
O maior ídolo do esporte, paixão nacional, é negro.
Um sindicalista que se orgulha de sua ignorância cultural chegou a presidência;
Temos um ministro do Supremo Tribunal Federal que é negro e de origem humilde;
Ídolos da música que vieram de guetos e outros homossexuais declarados etc.
Em uma sala de universidade onde se encontram: ricos, pobres, bolsistas, trabalhadores, "filhinhos de papai", negros, brancos, pessoas com facilidade de aprendizado e outras nem tanto, magros, gordos e tudo mais que se possa encontra em uma sociedade.
Em uma diversidade tão grande de pessoas e pensamentos o preconceito é improvável, mas alguns podem inverter a situação ao se julgarem superiores e depois se defenderem com a máxima de que são "discriminados".
Antes de se dizer "vítima de preconceito" avalie suas ações e comportamentos em relação ao mesmo. Talvez você perceba, que qualquer pessoa na mesma situação sofreria o mesmo tratamento, portanto não é preconceito e sim suas próprias atitudes que o causam problemas.


.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A injustiça feita aos povos indígenas.

Que aula magnífica.
Afinal nem me lembrava mais que:
Os índios foram escravizados;
Assassinados;
Catequizados;
explorados etc.
Afinal na minha idade, e tempo fora da escola, não me lembrava das aulas de 5ª série.
Bons tempos aquele em que eu acreditava em tudo que me diziam.
Agora é minha chance de aprender como o "homem branco" é malvado com os índios e sua cultura.
Onde já se viu eu ficar reparando na cor de suas "Frontiers", no envolvimento com o tráfico de madeira ou mesmo de drogas. E me esquecer como os antepassados desses índios sofreram a 500 anos atrás.
Más estou feliz. Afinal agora tenho alguém que me ensina tudo que eu não sabia antes da 5ª série.

.

sábado, 22 de agosto de 2009

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Ao futuro....

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Brasil sil sil