terça-feira, 29 de março de 2011

A morte faz surgir as qualidades e apagar os defeitos.


As duas opções mais fáceis para que as pessoas esqueçam todos seu defeitos e falem apenas de suas qualidades, mesmo que seja necessário criá-las, são: tornando-se evangélico - mas isso só vale para membros da mesma igreja, o restante não acredita - ou morrendo.

A única pessoa, que eu me lembro, que mesmo depois de morta continuou com seus defeitos foi o Tim Maia, apresentadores, jornalistas, radialistas etc. mesmo no dia do falecimento continuaram relatando as estripulias, que foram muitas, feitas por ele em vida.

Agora o homem íntegro, sensato, coerente, honesto, exemplo de vida, entre incontáveis qualidades é o ex-vice-presidente José Alencar, que faleceu hoje (29/03/2011).

Os indícios levam a crer que ele não foi dos piores políticos brasileiros, porém, analisando o nível dos nacionais não chega a ser um elogio. Exemplo de luta contra a doença ele foi, não me lembro de outra pessoa que lutou, com êxito, por tanto tempo.

Com essa avalanche de qualidades divulgadas na imprensa, poucos se lembraram que tão honrado homem foi o mesmo que se recusou a realizar um teste de DNA, para reconhecimento de uma suposta paternidade, alegando que a mãe da possível filha era "mulher reconhecidamente frequentada por vários homens”.

Rosemary de Morais, foi reconhecida filha de José Alencar graças a decisão do juiz José Antonio de Oliveira Cordeiro, da comarca de Caratinga (MG), após ele se recusar a fazer o exame de DNA. Conforme a lei, isso resultou em presunção da paternidade.

Um homem que agiu da mesma maneira que, em caso semelhante, o aclamado como Rei do Futebol agiu, não pode ser um homem tão íntegro como estão querendo nos fazer acreditar agora após sua morte.
José Alencar e Rosemary Morais/Reprodução

segunda-feira, 28 de março de 2011

Cada universidade tem a Geisy Arruda que merece.

Depois do sucesso da aluna Geisy Arruda em uma universidade particular, chegou a vez do pessoal da USP mostrar que na pública, até isso, é melhor


video

domingo, 27 de março de 2011

Alguns francanos também lucram com golpe criado pelo Governo Federal.


Notícia da Folha de São Paulo de 26/03/2011: "Farmácia Popular tem fraudes de R$ 4,19 mi".

Quando o Governo Federal criou o programa "Farmácia Popular" qualquer pessoa que tenha o mínimo conhecimento da realidade sobre o mercado de medicamentos ou mesmo sobre a população, realmente, pobre do Brasil sabia que tudo não passava de um mero programa de marketing eleitoreiro e caro, para variar, aos brasileiros.

O programa consiste na venda de medicamentos, através das redes particulares de drogarias, com até 90% do valor subsidiado pelo Governo Federal, ou seja, a drogaria vende um medicamento que tem o preço tabelado em R$ 10,00, o cliente paga R$ 1,00 e o governo - nós - o restante.

A maioria da população enxerga o projeto como uma vantagem, mas não é.

Agora vamos a realidade: a população realmente de baixa renda - só de estar lendo esse texto você já não se encaixa em tal requisito - não possue R$ 1,00 para adquirir o medicamento, para essa classe é necessário a distribuição gratuita na rede pública.

Tirando a questão eleitoreira, o governo não teria razão para pagar 90% de um medicamento para a iniciativa privada, se com o mesmo valor ele poderia comprar mais medicamentos e distribuir sem ônus algum para o adquirente nas Unidades Básicas de Saúde.

Já ouvi algumas pessoas defenderem o projeto com a absurda argumentação: "adquirir o medicamento em uma farmácia particular de sua livre escolha, da dignidade ao cidadão de baixa renda", balela, pois o cidadão que tem o filho doente precisa, primeiro, do medicamento, qual a dignidade em poder escolher a drogaria sendo que não possui o capital necessário para sua compra?

Mas com a notícia divulgada nessa semana pela Folha entendi que para alguns, além do próprio governo, realmente o programa é benéfico, afinal olha que interessante:

"Somente em Franca (400 km de São Paulo), quatro farmácias foram descredenciadas neste ano por fraudes no programa. Juntas, segundo o ministério, elas causaram um prejuízo de R$ 2,42 milhões. Na cidade, o Ministério Público Federal investiga 11 drogarias."

O bom das leis brasileiras é isso, as empresas foram descredenciadas - então constataram as irregularidades - mas não foram fechadas e nem seus proprietários indiciados.

Espero que um dia a população aprenda a diferenciar ações benéficas de simples peças publicitárias apresentadas pelos políticos que estão no governo. 

sábado, 26 de março de 2011

Aborto de anencéfalo voltará a ser discutido pelo STF

Aproveitando as últimas aulas de penal.

Fonte: Site do IBCCrim

Entre os temas de grande repercussão social que entraram para a pauta de julgamentos do Supremo Tribunal Federal (STF), está a interrupção terapêutica da gestação de fetos anencéfalos. Este polêmico assunto vem sendo discutido na Suprema Corte desde 2004, época em que a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde ajuizou a ADPF 54 (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental).

Sob a ótica médica, a anencefalia é entendida como ausência total ou parcial de cérebro, mas é leigamente tratada como “simples” má-formação cerebral. Nesse tipo de situação, a expectativa de vida, quando existente, é sempre muito curta, variando segundo o grau da patologia.

A legislação brasileira prevê apenas duas hipóteses em que o aborto pode ser autorizado. De acordo com o artigo 128 do Código Penal, é permitido quando a gravidez for de risco para a gestante ou resultante de estupro. Partindo da leitura desse dispositivo, a prática não pode ser consentida se motivada por anencefalia, o que é bastante discutível.

Se a falta de parte ou todo cérebro do futuro bebê não é justificativa legal para admitir o aborto, a mãe fica submetida a um intenso sofrimento psicológico, posto que é obrigada a gestar uma criança que saber ter praticamente nenhuma chance de vida extra-uterina. Essa “tortura psicológica” a que a gestante é condenada estimulou a discussão do tema.

Em 2008, houve uma audiência pública que reuniu especialistas em genética, entidades religiosas, representantes do governo e da sociedade civil. Durante os quatro dias de audiência, os defensores do direito das mulheres de decidir sobre prosseguir ou não com a gravidez de bebês anencéfalos puderam apresentar seus argumentos e opiniões, assim como aqueles que acreditam ser a vida intocável, mesmo no caso de feto sem cérebro

Apesar de a anencefalia não ser amparada por lei, não são poucos os juízes que, tendo em vista a saúde psicológica da mãe, autorizam a antecipação terapêutica do parto sob o fundamento de princípios como a dignidade da pessoa humana e o direito à saúde. Há discordâncias, justificadas por colocações de ordem religiosa e moral, mas que devem ser também respeitadas.

O cerne da discussão no Supremo envolverá a descriminalização da prática nesses casos. A decisão mais sensata parece apontar para a desobrigação da mãe em cultivar uma vida sem perspectivas contra sua vontade. Desse modo, caberia a ela optar por continuar a gestação ou não, evitando sofrimento e trauma desnecessários.

sexta-feira, 25 de março de 2011

A ganância.

Muitas vezes nem sabemos a razão de querermos sempre mais.

video

quinta-feira, 24 de março de 2011

E surge mais um adesivo.


Uma das coisas, entre as muitas, que eu não consigo entender são as modinhas, quem é mais velho vai lembrar-se da época que a moda era colar no fusca, um adesivo que imitava uma mancha de tinta.

Qual era o sentido? Já que tudo que um proprietário de carro não quer é, justamente, uma macha no seu veículo, mas todo mundo que tinha um fusca, de preferência, azul - que também foi moda na época - estava lá à mancha, em adesivo, na tampa traseira do carro.

Quem está achando estranho um fusca azul ser moda, isso foi na época que ter um carro, ou moto, novo era uma realidade muito distante para a grande  maioria das pessoas. Também não vá pensar que foi graças a um ex-presidente, de nove dedos que tinha uma mãe que nasceu analfabeta, que conseguiu tal transformação, como muitos desinformados gostam de tagarelar.
Depois da tal mancha surgiram muitos adesivos "da moda": "No Fear", "Dunlop", "Scott" entre inúmeros outros. E agora surgiu a moda da "família", eu na minha ignorância pensava que isso era coisa aqui da cidade, mas não, é um fenômeno nacional.

De onde surgi eu não faço a menor ideia, só sei que todo mundo resolveu colocar a representação do filho, gato, papagaio, esposa (ou será amante?), cachorro etc. grudados no carro. 

Esses adesivinhos, da família feliz, estão muito repetitivos então resolvi postar aqui, para aqueles que ainda não aderiram à moda, alguns modelos mais reais e divertidos, que recebi por e-mail.

clique para ampliar.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Mudanças pontuais no Código de Processo Penal geram divergências

Fonte: Câmara dos Deputados

Ao criar alternativas à prisão preventiva, o Projeto de Lei 4208/01 , se for aprovado, levará à diminuição no número de presos provisórios, que já somam 44% da população carcerária. A avaliação é do secretário de assuntos legislativos do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira. e da juíza criminal Renata Gil, vice-presidente da Secretaria de Direitos Humanos da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). O projeto está na pauta de hoje do Plenário.

No entanto, a proposta é contestada pelo advogado Jacinto Nelson de Miranda Coutinho , processualista que participou da Comissão de Juristas responsável pela elaboração da proposta de novo Código de Processo Penal (PL 8045/10, do Senado). Ele avalia que seria mais eficaz o esforço conjunto pela aprovação do novo código, em vez de investir em reformas pontuais que são paliativas.

Medidas cautelares

O PL 4208/01 cria nove medidas cautelares que poderão substituir a prisão preventiva. Atualmente, para garantir a ordem pública ou o andamento processual, o juiz recorre à prisão do acusado.

Se aprovado o projeto, o magistrado poderá colocar o acusado sob monitoramento eletrônico, limitar a sua comunicação com determinadas pessoas-chave da investigação e impedi-lo de frequentar determinados lugares, entre outras medidas cautelares. A restrição à liberdade do acusado passará a ser a exceção, cabível apenas quando nenhuma outra cautelar for eficaz ou em casos graves.

A proposta vai ao encontro do princípio de não culpabilidade e da necessidade de esvaziamento de um sistema carcerário sobrecarregado. Há uma mudança de paradigma em que a prisão se torna uma medida extrema adotada apenas para aqueles casos que exijam o isolamento do indivíduo, analisou a juíza Renata Gil.

O secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira, destacou que as medidas cautelares podem resultar em economia para os cofres públicos. Em vez de decretar a prisão preventiva em situações em que ela não é necessária, o juiz poderia colocar a pessoa em monitoramento eletrônico a um custo muito menor do que o do preso, argumentou.

Fiscalização

Renata Gil ressalta que o sucesso das medidas cautelares depende da vigilância das autoridades sobre o cumprimento dessas ordens. Essas medidas são eficientes desde que efetivamente fiscalizadas. As autoridades policiais e os juizes terão de lançar mão de novos mecanismos para se adequar a esse quadro, alertou.

Para o secretário do Ministério da Justiça, a sanção para o descumprimento da cautelar será suficiente para garantir que elas sejam cumpridas. Se a pessoa que estiver com a limitação de frequentar algum lugar se arriscar e desobedecer à ordem será presa, disse.

Limite

Ao mesmo tempo em que cria novos mecanismos, a proposta impõe regras mais rígidas sobre a prisão preventiva. Atualmente, ela pode ser decretada nos casos de crimes dolosos punidos com reclusão. Pela proposta, passará a ser restrita aos crimes mais graves, que tenham pena máxima superior a quatro anos de privação de liberdade, ou se houver reincidência.

O texto exclui a previsão de prisão preventiva do réu vadio, presente na lei atual, e inova ao permitir a prisão preventiva nos casos de violência doméstica contra crianças, adolescentes, idosos, enfermos ou pessoas com deficiência. A lei atual trata apenas da violência doméstica contra a mulher.

Reforma

O Projeto de Lei 4208/01, do Executivo, foi elaborado por uma comissão de juristas em 2001 e encaminhado ao Congresso com outras propostas que fizeram parte de um pacote de reforma do Código de Processo Penal. A norma foi incluída no 2º Pacto Republicano , assinado entre os três Poderes, que destacou as prioridades legislativas com vistas a tornar a justiça mais célere.

Continua: Projeto acaba com prisão especial para autoridades e unifica mandados de prisão.

Detalhe interessante: o Projeto de Lei é de 2001. Como era a internet, ou mesmo sua vida, naquela época?


segunda-feira, 21 de março de 2011

O próximo Papa.

Vamos começar a semana de uma forma bem descontraída.

video

sexta-feira, 18 de março de 2011

Trauma na infância.



Há poucos dias minha namorada, que é professora do ensino fundamental, comentava comigo o deslumbramento de cada um dos seus alunos com a expectativa da chegada do dia em que ficam como "ajudante de sala".
O ajudante de sala faz a função de líder de sala, porém seu mandato dura apenas por um único dia. Ela comentou que as crianças fazem o impossível para não faltar no dia programado para assumirem a função e que se sentem muito importantes nesse dia.

As funções desses ajudantes são normalmente: apagar a lousa, distribuir algum material para os outros alunos, chamar alguém para a professora, dar algum recado, entre outras atribuições do tipo.

Embora pareça, como de fato é, coisa simples, ela me disse que os alunos seguem a risca a sequência para que nenhum aluno trabalhe no dia que não é seu.

Essa história me fez lembrar a época do colegial quando muitos queriam se tornar líder de sala, afinal era um jeito fácil de ficar passeando pelos corredores da escola com muito mais frequência.

No ensino superior os alunos já não precisam de tais artifícios, afinal a entrada e saída da sala é responsabilidade do aluno e apagar a lousa, além de coisa rara, já não é uma tarefa das mais divertidas como já foi.

O que não é raro de encontramos, independente do grau de escolaridade, é alguma criança - não de idade e sim no comportamento - frustrada que vive reclamando para o professor do "ajudante do dia".Certamente por não ter apagado a lousa quando ainda estava no Jardim de Infância a criança carrega tal frustração até o ensino superior.

Preciso alertar minha namorada para tal situação, assim ela mantêm o rodízio de ajudantes e não colabora para que a pobre criança carregue esse triste trauma até a universidade.

MPF em Franca realiza concurso para estágio em Direito


Fonte: Procuradoria da República no Estado de S. Paulo - por sugestão.

O concurso destina-se aos alunos que tenham concluído, pelo menos, 40% da carga horária exigida pelo curso

A Procuradoria da República no Município de Franca (Ministério Público Federal) está com inscrições abertas, até o próximo dia 30 de março, para concurso de seleção de estagiários em Direito. Podem participar do concurso alunos das seguintes faculdades e universidades conveniadas com a instituição: Unesp, FDF e Unifran.

O concurso destina-se ao preenchimento inicial de seis vagas, com a eventual abertura de novas durante o prazo de sua validade, que é de um ano (prorrogável por mais um). A bolsa-estágio é de R$ 800 para jornada de quatro horas diárias, além de custeio de R$ 7 por dia estagiado para despesas de transporte.

As inscrições devem ser feitas através do endereço eletrônico www.prsp.mpf.gov.br/prmfranca. O candidato deverá imprimir a ficha de inscrição e entregá-la até o dia 31 de março, no prédio da Procuradoria da República no Município de Franca, junto com os seguintes documentos: cópia e original do RG ou outro documento oficial com foto; duas fotos 3 x 4; atestado de matrícula emitido pela instituição de ensino indicando o semestre/ano em que está matriculado; documento emitido pela instituição de ensino informando o percentual da carga horária/créditos já cumprido e o total exigido para conclusão do curso superior de Direito; declaração de antecedentes criminais disponibilizada também no endereço eletrônico acima citado, completamente preenchida e assinada pelo próprio candidato.

Juntamente com a ficha de inscrição, o candidato deverá doar um kit de material de limpeza, constituído, pelo menos, dos seguintes itens: 500g de sabão em pó; 10 sacos de lixo de 60 litros; 02 rolos, com 60 folhas cada, de papel toalha; 500ml de detergente; 04 rolos de 30 metros de papel higiênico e 1 litro de água sanitária, a serem revertidos para uma instituição filantrópica.

Pessoas com deficiência podem disputar a cota de 10% relativa à vaga, informando que desejam concorrer nessa condição, desde que as atividades de estágio sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras. Caso necessite de condições especiais para a realização da prova, deve
protocolar requerimento nesse sentido já no ato da inscrição, anexando atestado médico.

O processo seletivo contará com uma prova escrita dividida em duas fases, ambas aplicadas no dia 03 de abril, com duração total de quatro horas, com acréscimo de uma hora no caso de candidato com deficiência visual.

A primeira fase da prova escrita consistirá em 40 questões objetivas, abrangendo as
matérias constantes do programa em anexo ao edital. A segunda fase da prova consistirá na elaboração de uma dissertação ou parecer jurídico, sobre temas extraídos das matérias também constantes do programa.

Veja a íntegra do edital.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Música para a tarde de quinta.

video 

Ignorar o problema não o resolve.


É cada vez mais comum a divulgação de notícias envolvendo alunos violentos contra professores ou funcionários de escolas, mas toda vez que você se deparar com uma notícia como está:

"Uma professora de matemática ficou ferida ontem (15/03) após um de seus alunos arremessar uma carteira escolar contra ela, dentro da sala de aula, em uma escola estadual de Guaimbê, na região de Marília, no interior de São Paulo."

Não pense que se trata de algo diferente do esperado dentro do estabelecimento onde ocorreu a agressão. Até acontecer algo que os jornais noticiam já ocorreram inúmeros outros incidentes menores que foram tratados com descaso pelos funcionários, professores e diretores do estabelecimento.

O aluno, quando se torna notícia, já foi acobertado por vários outros delitos menores, do qual, se ela existiu, a sanção foi irrisória. 

Agressões verbais, brigas, facas, armas etc. estão presentes na realidade das escolas públicas há muitos anos. O que mudou foi o aumento nas regalias que hoje possuem os alunos, que em contrapartida não são cobrados em nenhuma responsabilidade.

Enquanto as autoridades, dentro das escolas, continuarem com sua errônea interpretação do ECA, sempre protegendo e nunca punindo pequenos delitos cometidos por alunos, agressões mais graves serão cada vez mais comuns nos noticiários policiais.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Advogada detida em Prisão de Montenegro(RS).


Depois quando tentam criar mecanismos que coíbem as prerrogativas dos advogados alguns acham absurdo. Notícia absurda e que mostra o "labor" de alguns advogados.

Fonte: Jornal Zero Hora

A advogada que surpreendeu agentes penitenciários ontem (15) ao tentar burlar o sistema de segurança e repassar 28 aparelhos celulares a detentos da Penitenciária Modulada de Montenegro, no Vale do Caí, Luciana Kaliski Garcia, 36 anos, foi presa em flagrante.

Conduzida à Delegacia da Polícia Civil, ela assinou um termo circunstanciado por crime de menor potencial ofensivo e foi liberada.

Bacharel em Direito, Luciana tem escritório no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Moradora de Cachoeirinha, ontem ela dirigiu uma caminhonete Tucson até a porta da penitenciária, passou pela administração do local, onde deixou o documento de identidade e o próprio celular e chegou ao parlatório, local reservado para a conversa com seus clientes.

Ela estava com uma pasta, uma bolsa, uma mochila e uma sacola – local onde, segundo a polícia, foram encontrados os aparelhos.

Era meio-dia, e ela pediu ao agente penitenciário que chamasse seu quinto cliente. No momento que o agente deu as costas para a sala, ela teria corrido até a cela onde os detentos aguardavam pelo atendimento.

Segundo a polícia, quando entregou a sacola com os aparelhos aos presos, ela acabou detida. O serviço de inteligência da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) monitorava Luciana desde janeiro, quando recebeu informações de que a profissional estaria repassando os telefones.

– Causa surpresa ela se valer da prerrogativa de advogada para cometer um delito – diz o delegado regional do Vale do Caí, Ciríaco Caetano Filho.

Na delegacia, a advogada se negou a falar sobre o caso. Está prevista pena de três meses a um ano de detenção a quem ingressa, auxilia ou facilita a entrada de aparelhos telefônicos sem autorização legal em estabelecimento prisional. Penas de até dois anos são consideradas de menos potencial ofensivo e revertidas em multas ou serviços comunitários.

Ela será ouvida pela Justiça na próxima semana.

Depois da apreensão, a Susepe não fez pente-fino para tentar buscar novos aparelhos – já que os presos não chegaram a tocar neles, segundo o órgão. A superintendência diz que revistas de rotina são feitas semanalmente, nas quais têm sido recolhidos de seis a 10 celulares, em média.

Além dos aparelhos telefônicos, foram apreendidos ainda carregadores de bateria, fones de ouvido e chips de duas operadoras diferentes. Os aparelhos eram pré-pagos, o que torna mais fácil a habilitação.

terça-feira, 15 de março de 2011

O preço por ser idiota.


A notícia que acabo de ler, e que reproduzo logo abaixo, me deixou bastante contente. É que recebo quase que diariamente fotos e vídeos caseiros de casais transando ou de mulheres em poses sensuais, em sua grande maioria nota-se que elas sabiam que estavam sendo filmadas ou fotografadas, portanto cofiavam no parceiro.

Acontece que depois que o relacionamento acaba, isso quando existia algo além do sexo, o parceiro para se vingar, fazer graça ou humilhar a parceira divulga o material na internet, e ainda, acompanhado das devidas referências: "fulana que trabalha em tal lugar", "filha de não sei quem", ou pior, de fotos com familiares e ou amigos.

Não dá para chamar de homem um cidadão que faz isso, não interessa se foi em razão do final do relacionamento ou qualquer outro motivo, não a justificativa para tamanha traição. 

O que acontece entre duas, ou mais, pessoas na intimidade deve ficar somente entre elas, a não ser que todas envolvidas estejam de acordo com sua divulgação. 

Lembro de um rapaz que trabalhou em uma mesma empresa que eu e que ao tomar um fora da namorada contou a todos "tudo que ela fazia", passado algum tempo - ah, o tempo - ele reatou o namoro e os dois se casaram. Na festa do casamento todos os amigos de trabalho só comentavam as peripécias da noiva.

A seguir a notícia divulgada no portal UOL.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais publicou nesta terça-feira (15) decisão condenando um analista de sistemas a pagar indenização de R$ 50 mil por enviar e-mails com fotos nuas de sua ex-namorada.

Segundo informações da assessoria de imprensa do órgão, o analista invadiu a conta do e-mail pessoal da ex e enviou mensagens para parentes, amigos e colegas de trabalho, com as fotos dela tiradas na época do relacionamento, nas quais aparecia em poses sexuais. Segundo o relatório do caso, o analista estava descontente com o fim do relacionamento.

Sentindo-se lesada, a ex-namorada moveu representação criminal e conseguiu liminar para apreensão do computador que o analista utilizava. Mesmo assim, ele continuou a enviar as fotos, levando a uma ação civil por danos morais.

O analista se defendeu, dizendo que a ex adulterou o e-mail para incriminá-lo como revide pelo fim do namoro. No entanto, o laudo pericial comprovou que as mensagens foram enviadas por um computador alocado na empresa em que o ex-namorado trabalhava.

O TJ decidiu pela indenização, levando em conta a “repercussão profundamente negativa gerada no meio em que a autora vive.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Dica de site para pesquisas acadêmicas.


Acredito que a maioria das pessoas já conheça, mas como comentei com algumas que não, vou indicar um site que ajuda bastante na busca por conteúdo para trabalhos acadêmicos.

O site é uma especialização do já tradicional Google, você pode pesquisar várias disciplinas e fontes em um só lugar: artigos revisados por especialistas (peer-rewiewed), teses, livros, resumos e artigos de editoras acadêmicas, organizações profissionais, bibliotecas de pré-publicações, universidades e outras entidades acadêmicas. E só clicar na imagem logo abaixo e conferir:

domingo, 13 de março de 2011

Como é bom ter razão.



Impossível não perceber as gritantes diferenças entre o primeiro e o terceiro ano do curso de Direito.

Enquanto no primeiro o Direito foi apresentado por alguns como sério e imponente, duas palavras que uso para evitar: estúpido e arrogante, no terceiro as frescuras, que no segundo já começaram a desaparecer, são totalmente deixadas de lado.

O mais interessante é que a maioria dos alunos que achava normal esse Direito do primeiro, não conseguiram ou não quiseram continuar no curso. Sortes deles, afinal se livraram de ouvir a frase, da motoca, que mais gosto: "Eu te disse, Eu te disse..."

Lembrar que no primeiro ano cheguei a ouvir que só tem liberdade para não tratar um professor de Direito por "doutor" se você dorme com ele. Isso mesmo, no primeiro ano chegaram a ensinar que Doutor era pronome de tratamento e não título acadêmico conquistado por poucos, tão poucos que dos professores do primeiro e do segundo ninguém o possuía.

No terceiro temos a oportunidade, que em menor escala já existia no segundo, de assistir aulas com professores que fazem brincadeiras, piadas, se apresentam por apelido, não se importam com a forma do qual querem ser chamados etc. Talvez, seja pelo simples fato dos que sabem da sua real capacidade não necessitarem de autoafirmação.

Então se você está achando o primeiro ano de Direito muito cansativo, relaxa, quando você começar a ver o Direito com menos teorias e menos hipocrisia fica bem mais interessante.

O quanto os seres humanos acreditam ser superiores.


Aproveitando a tragédia ocorrida no Japão e a moda dos ambientalistas, que desejam Salvar o Planeta, um vídeo bem atual, embora não seja de data, do excelente George Carlin.

video

quinta-feira, 10 de março de 2011

Algumas dúvidas, intrigantes, sobre Direito.


Aproveitando que ainda não estamos desesperados em razão das provas, 15 dúvidas interessantes sobre  o Direito:
 
01. Qual a capital do estado civil?

02. Dizer que gato preto dá azar é preconceito racial?

03. Com a nova Lei Ambiental, afogar o ganso passou a ser crime?

04. Pessoas de má fé são aquelas que não acreditam em Deus?

05. Quem é canhoto pode prestar vestibular para Direito?

06. Levar a secretária eletrônica para a cama é assédio sexual?

07. Quantos quilos por dia emagrece um casal que optou pelo regime parcial?

08. Tem algum direito a mulher em trabalho de parto sem carteira assinada?

09. A gravidez da prostituta, no exercício de suas funções profissionais, caracteriza acidente de trabalho? Essa eu fikei na dúvida...

10. Seria patrocínio o assassinato de um patrão?

11. Cabe relaxamento de prisão nos casos de prisão de ventre?

12. A marcha processual tem câmbio manual ou automático?

13. Provocar o Judiciário é xingar o juiz?

14. Se um motel funciona somente das 8 às 18 horas, podemos dizer que ali só ocorrem transações comerciais?

15. Para tiro à queima-roupa é preciso que a vítima esteja vestida?

terça-feira, 8 de março de 2011

Caipirinha de limão.


Uma receitinha simples, porém que a maioria dos bares de Franca desconhece. Embora seja "bonitinho" fazer caipirinha na coqueteleira, essa é uma bebida apenas montada.


Não conheço nenhum bar, em Franca, que faça caipirinha sem uso de coqueteleira, e se o cliente perguntar ou falar alguma coisa a respeito, ainda ouve do garçom: "é a caipirinha tradicional", frase que acompanha aquele sorriso sarcástico.


video

segunda-feira, 7 de março de 2011

Desprezo ao mérito.


O Brasil deve ser um dos poucos países, se não for o único, onde o cidadão honesto não é beneficiário e sim mantenedor de projetos para os que cometeram algum desvio de conduta ou não conseguem, ou querem, sair de baixo das asas protetoras do Estado.

O CNJ, o Ministério do Esporte e o Comitê Organizador Brasileiro da Copa do Mundo de 2014 assinaram convênio para a contratação de presos, ex-detentos e adolescentes em conflito com a lei para trabalharem nas obras e serviços necessários à realização dos jogos do mundial nas 12 capitais brasileiras selecionadas. Prefeitos e governadores das cidades e estados que sediarão jogos da Copa assinaram termo de cooperação se comprometendo a destinar 5% das vagas das obras contratadas para os jogos a egressos do sistema prisional. Projeto que beneficie contribuintes que  estão desempregados e nunca tiveram problemas com a justiça não foi apresentado.

O salário dos deputados foi reajustado em 61,8% o que fez alcançar a cifra de R$ 26,7 mil sem os benefícios, isso tendo como cenário o corte de gastos necessário para conter a volta da inflação. Por outro lado querem reajustar, por decreto, o salário mínimo em menos de 7%, elevando-o assim a R$ 545,00, lembrando que este não possuem benefícios complementares.

Acaba de ser anunciado pelo governo um reajuste de 45% para os beneficiários do programa Bolsa Família e uma atualização de mais de 6% ao auxílio reclusão (salário pago aos dependentes de pessoas que cumprem pena em regime fechado), decididamente ser cumpridor de suas obrigações  e batalhador não traz benefício algum para nós brasileiros.

domingo, 6 de março de 2011

Carnaval 2011. (2)


Máscara ideal para o carnaval 2011, na região de Franca-SP.

Cara de pau.


Quem já trabalhou, ou ao menos teve algum contato, com cobranças sabe bem como os caloteiros são abusados. O exemplo a seguir, embora possa parecer brincadeira, é bem provável que seja verídico.

 
clique na imagem para ampliar


sexta-feira, 4 de março de 2011

Carnaval 2011.

Vídeo perfeito para começar a festa:

video

Ivete Sangalo com sua energia e alegria contagiantes. Ótimo carnaval a todos.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Jogada de marketing.


O ex-presidente fez sua estreia no campo das palestras, isso mesmo você não leu errado, embora não tenha sido divulgado o valor recebido por ele, especulações no mercado de palestras levam a acreditar que ele cobraria R$ 200 mil por cada uma, você continua lendo certo.

A única explicação para contratar uma pessoa que só não falava besteiras nos discursos, enquanto presidente, quando esses eram escritos por terceiros se encontra na imagem logo abaixo. Ah, em sua primeira palestra ele também preferiu ler a usar suas improvisações.


Imagine qual seria o valor para divulgar uma marca em todos, seja em grandes ou pequenos, como esse blog, os veículos de massa. Com a mesma intenção de uma fabricante de automóveis que coloca um BBB a frente de sua logomarca, a LG fez o mesmo, porém sem ter de pagar por todos os anúncios.

75% das encarceradas em SP não possuem advogado.


Uma ótima oportunidade para abrirem mais vagas na Defensoria Pública.

Fonte: Site IBCCrim

Entre outubro e dezembro de 2010, a Defensoria Pública de São Paulo ouviu 18% (2.017) das 11 mil mulheres presas em 37 penitenciárias femininas do estado. A pesquisa parcial concluiu que 75% das encarceradas não têm advogado constituído.

Neste primeiro trimestre de projeto, foram identificados 92 casos de prisões consideradas juridicamente irregulares. Segundo Davi Eduardo Depiné, um dos coordenadores da pesquisa, "o projeto tem demonstrado a importância de um olhar próximo à realidade prisional do estado, não apenas para garantir o adequado acompanhamento processual, mas principalmente para assegurar o devido acesso à informação e à defesa de qualidade".

Até outubro deste ano, a expectativa é de que todas as detentas sejam visitadas por defensores, que prestarão orientação e assistência jurídica, além de aplicar questionários durante entrevistas pessoais. Partindo dos dados coletados nessas visitas, será possível traçar estratégias de atuação para melhorar a qualidade das mulheres presas.

Há a previsão de que cada detenta seja atendida ao menos duas vezes. A primeira delas será destinada à apresentação do mutirão e dos defensores públicos e à aplicação do questionário para levantar informações relativas à situação socioeconômica, às condições de saúde e de aprisionamento das presas. Na segunda visita, o defensor informará as mulheres sobre o que feito em relação à sua situação prisional.

No projeto, estão envolvidas todas as unidades da Defensoria Pública de São Paulo. O trabalho conta ainda com a parceria da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.